HomeVideoAutor da Própria Saúde – Guiné [Dor de cabeça, dor de dente, diabetes, calmante]

Autor da Própria Saúde – Guiné [Dor de cabeça, dor de dente, diabetes, calmante]



NSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER:
http://saudepelasplantas.klickpages.com.br/newsletter

GUINÉ / ERVA DE PIPI / GUINÉ GAMBÁ / AMANSA SENHOR
Petiveria alliacea

Planta tóxica em doses elevadas, ou em tratamentos prolongados. Possui atividade abortiva.
Popularmente suas raízes e folhas são utilizadas contra dores de dente, dores de cabeça, cólicas menstruais, diurética, facilitadora das menstruações, reumatismo.
A dose utilizada é de 1 colher de chá de folhas picadas para cada xícara de água.

As raízes são analgésicas e anestésicas, muito utilizadas para dor de cabeça e dor de dente. Para dores de cabeça, suas folhas são utilizadas externamente como cataplasma. Para dor de dente, é feito bochecho com seu chá ou as raízes são mascadas, mas o sumo não é engolido.
Para problemas da boca e garganta, é feito um chá forte com 1 colher de sopa de folhas e 1 colher de sopa de raízes, para ser utilizado como bochecho e gargarejo.
Externamente, na forma de compressas seu chá forte é utilizado contra dores musculares e dores articulares.
O uso de Guiné promove a redução da glicemia, baixando em 60% os níveis de açúcar no sangue após 1 hora.
Forte ação acaricida, causando alta mortalidade de carrapatos e reduzindo sua postura, além de m afore ação inseticida.
Contra o câncer, algumas das substâncias isoladas de Guiné demonstraram uma forte ação contra células cancerosas em diversos tipos de câncer humano.
Apresenta atividade sobre o Sistema Nervoso Central como calmante e anticonvulsionante. O extrato preparado com raízes, caules e folhas de Guiné apresentou efeito ansiolítico em modelo experimental. Já o extrato apenas das folhas e caules apresentou efeito ansiogênico, ou seja causou ansiedade.
No sistema reprodutor feminino, seus extratos facilitam as menstruações. Ainda, o extrato das sementes tem um forte ação sobre a contração uterina, aumentando a frequência e a intensidade destas contrações.

REFERENCIAS:
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/(SICI)1099-1573(199705)11:3%3C251::AID-PTR75%3E3.0.CO;2-B/full
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0304401709007006
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/(SICI)1096-9063(199707)50:3%3C228::AID-PS575%3E3.0.CO;2-J/abstract
https://www.jstage.jst.go.jp/article/bpb/28/1/28_1_42/_article
http://caribbean.scielo.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0043-31442007000100004&lng=pt&nrm=iso?iframe=true
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378874108004509
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/016512189290015R
http://bmccomplementalternmed.biomedcentral.com/articles/10.1186/1472-6882-8-60
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0074-02761991000600035&script=sci_arttext
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378874110000292
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378874101004007
http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=61283&indexSearch=ID
https://www.researchgate.net/publication/292763555_The_uterine_contractile_effect_of_Petiveria_alliacea_seeds
http://www.interciencia.org/v32_02/121.pdf
http://repositorio.ufc.br/handle/riufc/2593
http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0122-74832009000200001&script=sci_arttext&tlng=pt
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378874114001901
http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3212
http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-03002002000300003

source

Previous post
Complying with your Diabetes
Next post
Living a Balanced Life With Diabetes-Webinar Video

Leave a Reply

Be the First to Comment!

Notify of
avatar
wpDiscuz